Páginas

domingo, 15 de janeiro de 2017

MEU FUTURO - Livro escrito pelos alunos do quinto ano do ensino fundamental




Dedicatória 




Existem situações que nos marcam, isto é o que aprendemos. Uma delas é quando estamos estudando e chegamos à última etapa de um ciclo estudantil, como este que estamos concluindo agora, o quinto ano do ensino fundamental.
Em senso comum, decidimos dedicar esta obra a pessoas que sempre vão estar em nossas memórias. Estas são nossos pais que sempre nos protegeram e dedicaram suas vidas e mostrar-nos o melhor caminho, e ao nosso querido professor Ormes de Paula, que com todo carinho e dedicação, sempre procurou nos orientar e mostrar que a vida e nossa vitória diante dos obstáculos, dependem principalmente de nós. A vocês, todo nosso amor e carinho, estão nestas páginas que escrevemos.
Os autores das páginas deste livro são estes:






























SUMÁRIO

Apresentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  3 

Alexandre Derick da Silva Sousa . . . . . . . . . . . . . . . . . 4

Ana Patrícia dos Santos da Silva . . . . . . . . . . . . . . . .  5

Felipe Silva Duarte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  6

Fernando Oliveira Rodrigo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..7

Flávio Pinto da Costa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8

Gabriele Santos Nobre . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9

Guilherme Pinto da Cruz . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10

Guilherme Ramos Caldas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11

Islene Nunes Gomes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12

Kauã Cristian Melo da Silva . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13

Lauani de Souza Araújo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .14

Lourrany Castro de Abreu . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15

Manoel Carlos Batista Barbosa . . . . . . . . . . . . . . . . . 16

Marcos Vinícius Pereira da Silva . . . . . . . . . . . . . . . .17

Mariana Gonçalves Ramos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18

Mizael da Silva Cabral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .19

Pablo Cauan Costa de Sousa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

Raiane Silva Rocha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .  21

Solange Medeiros Pompeu . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22

Yasmin Nascimento Lima . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23

Christian Felipe da Silva e Silvac . . . . . . . . . . . . . . . 24

Davi da Nóbrega Moraes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25

João Augusto Ferreira de Oliveira . . . . . . . . . . . . . . 26

Thayssa Pas da Silva . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .27

Thiago Pas da Silva . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

Conclusão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
















Apresentação




O corpo gestor da Escola Maria Odete Carneiro Soares, juntamente com seus brilhantes professores, em uma decisão democrática e ativa, solicitaram aos alunos concluintes do quinto ano que, mostrando que pensam no futuro, escrevessem as páginas que comporiam este livro.
Aqui foram feitas revelações que poderão se realizar no decorrer do tempo, e outras que poderão mudar no percurso da vida de cada aluno, pois, sabemos que o futuro é incerto, porém o ditado é certo: “O mundo dá muitas voltas”.
A leitura deste exemplar, com certeza fará você refletir sobre a realidade na educação e o que podemos fazer para que ela seja um grande passo na construção do futuro cidadão.











Meu futuro





Todos nós temos passado, presente e futuro e já sabemos que o futuro depende principalmente de nós.
Como exemplo de passado temos nossos pais e as pessoas que nasceram antes de nós e que, de certa forma, contribuíram para nossa formação até aqui e que, provavelmente, muitas delas estarão conosco no futuro.
Pensando nisso e observando o que muitos comentam sobre a vida e que se pudessem, mudariam seus passados, é que eu resolvi pensar no que eu quero pro meu futuro.
Eu quero ser veterinária. Essa foi uma das profissões que eu escolhi para mim, porque eu gosto muito dos animais. Na verdade desde pequena eu quero que esse sonho se torne realidade.
Sei que para que isto se torne real no meu futuro, eu preciso estudar muito e dar valor aos meus professores porque eles são quem pode me ajudar nessa conquista do meu futuro. Aprendi que na vida não somos quase nada sem estudo.
De agora em diante, preciso aprender a dividir o meu tempo de brincar e o meu tempo de estudar para que eu possa realizar o meu sonho para o futuro.
Das minhas brincadeiras preferidas está a de veterinária em primeiro lugar. Gosto muito de brincar por isso já brinco pensando no meu futuro.
                                                                    
                                                              (Raiane – 11 anos)




Meu futuro





O que mais eu quero no meu futuro é ser professora. Eu respeito e gosto muito de crianças pequenas e não me vejo no futuro sem pensar que posso colaborar para o desenvolvimento delas.
Eu quero a profissão de professor responsável pelas crianças. Quero ser boa, meiga e atenciosa com eles. Não quero ser brigona com eles porque sei que eles são meigos e nem sempre sabem o que realmente pode ou não pode ser feito. Na verdade, eu sei que ainda sou criança. Só que eu já conheço bastantes coisas que as outras crianças não conhecem e que precisam de alguém que as respeite para que elas possam estar sempre alegres, sem estar chorando pelos cantos porque um adulto que ela goste ter brigado ou batido nela, ou mesmo gritado com ela.
Ser professor é um dom e eu quero sim, e eu quero sim, formar e vou guardar no meu coração esse desejo.
Esta minha história vai ficar guardada no livro de histórias da escola Maria Odete para que alguém que vier a ler no futuro me veja realizando o meu futuro sendo uma boa professora que cuida das crianças.


                                                        (Ana Patrícia – 10 anos)






Meu futuro





Sou bastante vaidosa e gosto muito de cuidar do meu corpo. Minha mãe é que acha que eu às vezes exagero em cuidar de mim, só que, eu vejo sempre na internet e na televisão, as pessoas falando da importância de cuidar do corpo da gente.
Essa é uma das razões de eu me preocupar com o meu futuro e querer ser professora de educação física.
A aula que eu mais gosto na escola é educação física, apesar de eu saber da importância das outras matérias e que se eu não souber delas eu até posso ser reprovada.
Conversando com meu professor, pude ver que a educação física, nos possibilita a evitar certas doenças e que, se eu formar para professora de educação física, eu vou ajudar muita gente a poder cuidar de sua saúde física e até mental.
A conversa que eu tive com meu professor me deu mais coragem de fixar minha ideia na educação física sem deixar de me preocupar com as outras disciplinas, até mesmo porque se eu não me interessar por elas, eu não vou passar no vestibular.
Se Deus quiser, assim será meu futuro, professora de educação física, para meu bem e para o bem de muita gente nesse meu país amado.

                                                   (Gabriele Nobre – 10 anos)



Meu futuro





Todos nós sabemos que ninguém pode ficar sem pensar no futuro, porque ele é certo. Mas, quando pensamos nele devemos pensar com cuidado para que não venhamos a nos arrepender e ser tarde.
Minha decisão eu tomei. Mesmo que eu venha mudar de ideia nesse momento eu quero mesmo é ser um policial pra que eu possa defender a minha pátria, resgatar pessoas de alagamentos, ajudar àqueles que precisam etc.
Quero também poder cuidar de quem eu gosto. Cuidar de patrimônios históricos, hospitais, presídios, guaritas, etc.
No meu trabalho policial eu quero orientar as pessoas que usam drogas para que elas possam saber do quanto elas são importantes para seus familiares e para a comunidade onde elas vivem.
Para mim, proteger as pessoas que precisam e livrá-las dos bandidos e pessoas maldosas, traficantes, e outros maléficos a sociedade, é um trabalho que mostra a importância de ser patriota.
Quando precisarem de mim, mesmo no descanso do meu lar, quero estar sempre bem disposto para agir com competência e amor ao meu trabalho e ao cidadão.
Quero ser um cidadão exemplar e quando eu partir desta vida ser exemplo para meus filhos.
                                      
                                         (Marcos Vinícius – 10 anos)




Meu futuro





Na escola, sempre procurei ser bem aplicada e atenciosa com meus professores e o pessoal que trabalha na escola. Não sou muito boa em português, mas, na matemática, ainda não tive problemas que eu não conseguisse aprender.
Esta é uma das razões que me levaram a querer ser uma professora de matemática. Não uma daquelas que tentam impor os números na cabeça do aluno, mas, uma daquelas que procuram o caminho para que ninguém fique sem aprender.
Sempre eu observo que a maioria das pessoas tem dificuldade para aprender a tal de matemática e sempre vejo que muitos não conseguem aprender. Por isso quero, se Deus quiser ter muita inteligência para aprende bastante, e saber a melhor forma de ensinar àqueles que têm dificuldade.
Assim como eu tenho dificuldade com português, outros têm dificuldade com matemática. E pelo que eu vejo, matemática tem bem mais gente difícil de aprender.
Poucos são os que têm um futuro brilhante na escola devido à dificuldade de encontrar bons professores, digo, aqueles que realmente se preocupam com os alunos que tiram nota vermelha, mas, que não é por culpa deles.
Sei que com muito esforço posso conseguir tudo oque eu sonho, mas sei eu um dia chego onde eu quero.
                                                                                                                  
                                                    (Solange Pompeu – 13 anos)






Meu futuro


Gosto muito de brincar. Desde bem pequeno, sempre gostei de jogar bola. Quando vou pra educação física, a primeira coisa que eu pergunto para o professor é se nós vamos jogar bola.
Sempre procurei me posicionar bem para receber a bola e marcar aquele gol.
Quando o professor Ormes pediu para que falássemos do nosso futuro, logo pensei: Vou escrever sobre o que eu realmente quero. Quero ser jogador de futebol profissional. E quando eu estiver lá, se meu Deus me permitir, vou ser um ótimo atacante. Quem sabe, um dia o Barcelona pode até me contratar e eu ser famoso e trazer fama para o meu Brasil e para a minha cidade amada que é Tucuruí.
Sei que para ser um bom jogador também é preciso ser um bom estudante para que eu possa saber falar bem e entender bem de como são as culturas dos outros povos.
Não vou desistir do meu sonho porque tenho certeza que é isso que eu quero. Mas, se o destino não me permitir, serei outra coisa. Não é à-toa que estou estudando.


                                                (Guilherme Pinto – 11 anos)






Meu futuro


Quero ser jogador de futebol. Desde quando entrei para a escolinha de futebol daqui de Tucuruí e que fomos jogar um torneio fora da cidade, ganhamos o primeiro jogo de três a dois, e na segunda partida o treinador falou que se a gente ganhasse estaríamos a um passo de ganhar a tão sonhada taça.
Fiquei muito emocionado com aquele acontecimento e então, passei a desejar ardentemente ser jogador de futebol.
Não sei se vou conseguir ser um jogador profissional porque sei que é muito competida a vaga de jogador profissional. Mas também não me custará tentar. Sei que o primeiro passo é treinar muito, ouvir sempre o que o técnico me recomenda e lutar pra sempre estar bem posicionado no campo para poder receber um bom passe e fazer a jogada de conclusão para ouvir aquele grito gostoso da torcida: Gooool!!!
Não custa sonhar, é o que o professor Ormes sempre nos fala em sala de aula. Só que pra alcançar o nosso sonho, precisamos estudar bastante e sempre correr atrás das coisas que nós queremos para nós.
                                                 (Rafael Lucena – 10 an0s)






Meu futuro


Quando ando pela cidade com meu pai, observo às construções, os jardins, as pontes, e esta imensa barragem que foi feita na nossa cidade. Em tão eu lhe pergunto:
- Pai, como é que são feitas essas construções? O senhor sabe fazer uma delas?
E ele me respondeu:
- Não, meu filho. Para fazer uma construção é preciso de antes de começar, que um engenheiro faça o desenho dela e informe ao operário como ela deve ser feita para que não caia e nem acabe com facilidade.
Isso me fez interessar pela profissão de engenheiro e, se Deus quiser, eu vou ser engenheiro.
Quero ter uma família, uma mulher trabalhadeira, que cuide bem da casa e não se esqueça dos meus filhos.
Quero dar para eles o que eu não posso ter agora.
Eu sei que meu pai tem vontade de me dar as coisas mas o dinheiro que ele ganha é muito pouco e tem muitas contas para pagar.
Quero também poder ajudar a ele para que ele tenha uma vida melhor e que ainda não pode ter.
Se eu não puder ser engenheiro vou ficar satisfeito com o que Deus me deixar ser.
     
                                                    (Felipe Duarte – 10 anos)



Meu futuro



Todos nós temos nossos problemas na vida. Eu não sou diferente. Também tenho os meus. Tenho também alguém muito especial na minha vida que é a minha amada vó. Gosto muito dela e aprendo muitas coisas com ela. É ela quem me educa e ensina a viver nesse mundo tão complicado.
Quanto ao meu futuro, tenho uma grande vontade de ser uma médica. Quero tratar meus pacientes com muito carinho, respeito e consideração. Isso é o que mais estamos precisando, e isso é o que eu quero para os meus pacientes, caso eu consiga formar em medicina.
Outra coisa que eu quero da minha vida é ter um bom marido, que seja crente para que eu possa ter um casal de filhos e criar eles de forma digna e respeitosa e que saibam respeitas as pessoas e viver bem com elas.
A vida é dura. Isso eu já sei e o meu professor Ormes de Paula, vive nos orientando quanto às coisas que vamos enfrentar quando crescer. A grande maioria das coisas, teremos que fazer sozinhos e muitas das vezes ainda teremos que ajudar as pessoas sem poder contar com elas no futuro. Mas, o importante é que Deus esteja sempre conosco.
Assim é o futuro que eu quero ter. E por ele tudo eu vou fazer. Vou estudar bastante, me dedicar totalmente aos meus estudos mesmo que às vezes eu faça isso brincando. Afinal, a vida é dura pra quem é mole, e eu não quero ser mole. 

                                                          ( Yasmim Lima – 10 anos)



Meu futuro

Sei que a vida é um pouco difícil e que passamos muitas dificuldades no caminho, mas, isso não é motivo para ficar desanimados.
Às vezes fico observando o quanto é bom quando estamos doentes e tem alguém para cuidar da gente. E coisa pior é quando não temos ninguém que se importe com a gente.
Vou procurar cada dia mais zelar pelos meus estudos, uma vez que agora eu consigo entender bem melhor as coisas, graças ao meu professor Ormes que tem tanto cuidado com a gente e procura sempre compreender a gente e vou lutar pra vencer na vida. Quero me formar médica para poder cuidar das pessoas, principalmente aquelas mais necessitadas que têm que ficar sendo humilhadas para conseguir uma consulta e cuidar da saúde.
Quero que Deus me dê muita inteligência e que me dê condições financeiras para que eu possa realizar esse meu sonho que é realmente difícil para quem é pobre.

                                                    (Lauane Araújo – 11 anos)


                                          Meu futuro



        Quero ser mesmo é médico. Sim, este é o futuro que eu quero. Sei que pode ser muito difícil para mim.
Minha vó quer que eu seja bombeiro. Meu primo já é cabeleireiro, e cabeleireiro nem bombeiro eu quero ser.
Vou lutar e estudar bastante porque o professor Ormes disse que a vaga na faculdade para ser médico é muito disputada e que só passam lá os que estudam muito e se dedicam o suficiente.
Vou querer ser médico no Hospital Regional de Tucuruí, onde normalmente, faltam muitos médicos porque vai gente doente de vários lugares para lá.
O homem vagabundo não tem futuro é porque não frequentou a escola e agora vive um momento difícil na vida.
Minha vó sempre me dá força para estudar e conseguir ser alguém nesta vida. E eu não vou desistir do meu sonho de ser médico.

                                                      (Mizael Cabral – 10 anos)



Meu futuro


        O grande sonho da minha vida é ser advogado porque eu acho muito legal. Ganha bem e a profissão de advogado realmente é muito boa porque defende as pessoas quando elas têm problemas como a justiça.
Meu pai, minha mãe e minha tia acham que eu devo realmente seguir a carreira de advogado, mas, que eu devo defender somente as pessoas que são boas e procurar a colocar os bandidos, assassinos e exploradores na cadeia.
Minha mãe é legal e eu quero fazer o gosto dela que é estudar para ser advogado. E eu também acho que é muito importante porque, nesse nosso país tem muitos bandidos e gente ruim que precisa de alguém para dar um jeito neles.
Esse é o futuro que eu sonho com ele e que vou lutar com todas as minhas forças para conseguir realizar ele.

                                                    (Manoel Carlos – 10an0s)




Meu futuro


        Vou começar aqui a contar a história do que eu quero ser no futuro.
        Quando eu crescer eu quero ser policial. Não aquele policial que só prende os pobres coitados que não tem nem o que comer e nem um trabalho e vivem jogados nas ruas. Essas pessoas eu vou fazer de tudo para poder ajudar eles a poderem estudar e ter um emprego para poder se manter.
Eu acho muito bonito a função de polícia, principalmente quando ela pega a bandidagem da cidade e coloca na cadeia. Aqueles que roubam celular das pessoas e roubam também as casas das pessoas que trabalham com tanta dificuldade pra poder comprar suas coisas e que depois não podem nem usar direito, que vem o ladrão e rouba pra comprar drogas e para beber cachaça e ficar nas farras da vida.
Quero ser um policial honesto e que zele pela família minha e dos outros que saem pra trabalhar e ganhar o sustento de sua casa.
                                                          (Kauã Silva – 10 anos)




Meu futuro

         Eu vou começar minha história que eu quero ser quando crescer. Quero ser uma pessoa do bem. E que defende as pessoas de bem. Por isso, quero ser um policial da polícia militar. Eu acho muito boa a fama da polícia quando ela pega aquele bando de ladrões e prendem. E as pessoas ficam satisfeitas porque sabem que aqueles bandidos não vão mais roubar suas casas nem seu celular que compraram com a maior dificuldade.
No momento luto com dificuldade para aprender a ler e escrever. Mas, graças a Deus, já estou aprendendo e sei que tenho que aprender muito mais, para que ninguém venha a me enganar quando eu for exercer meu trabalho de policial.
Minha família vai ter orgulho de ter um policial nela e esse policial será ser eu.

                                             (Alexandre Derick – 10 anos)



Meu futuro


      Meu nome é Fernando. Eu tenho onze anos de idade e quando eu crescer eu quero ser um grande médico. Esse é meu sonho desde quando eu tinha sete anos de idade. eu não vou ser igual a esses médicos de hoje em dia que quando as pessoas estão muito doente, com gripe, tosse bem forte no corredor do hospital, deixam elas como se estivessem de castigo, sofrendo com falta de ar e sem remédio esperando a boa vontade deles para ser atendido e se livrar das doenças.
Eu não vou ser assim. Eu vou levar os meus pacientes para a sala de consulta e vou dar vacinas e receitar os remédios que elas precisarem para sarar.
Eu vou fazer cirurgia e ainda mais, eu vou dar o que eu ganhar para meus pais para também eles poder sentir orgulho de mim.
Vou vencer na vida se Deus quiser e vou realizar esse sonho que desde criancinha eu tenho.
                                                (Fernando Oliveira – 10 anos)


Meu futuro



      Qual é a mulher que não gosta de uma bela casa? Pois é, eu não sou diferente. Uma das coisas que eu quero no meu futuro é uma bela casa branca, com um carro preto, um corolla, porque é um carro lindo. Mas, eu não disse que seria rica e se eu ficar vai ser por causa do meu emprego. Falando de emprego, eu espero ter uma das seguintes profissões: engenheira civil, estilista, professora, desenhista ou enfermeira.
Eu sei desenhar casas, sei fazer roupas no desenho e depois tento fazer com a minha boneca. Eu sei ensinar os outros, eu sei desenhar, e já curei minha mãe quando ela cortava com a faca. É por isso que eu quero ter essas profissões, mas, antes de fazer todas elas, eu tenho que terminar meus estudos porque ninguém pode trabalhar assim de cara, né!
Estar morando nos Estados Unidos, mas, é claro que eu vou fazer intercâmbios, porque se eu não fizer, eu não vou pra lá sem saber o que falar. Quando eu for pra lá, vou querer morar em Nova York porque morar no Japão nem pensar. Lá é muito evoluído.
Eu espero não estar casada até lá porque senão eu não vou conseguir nada. e não vou também, ter muitos filhos. Vou ter apenas dois filhos. Um menino e uma menina isto, para não ter brigas, e eu quero ter um marido loiro ou ruivo; branco ou moreno; olhos azuis ou verdes; alto ou baixo; rico, pobre ou classe média. Para mim não importa. Esse é o futuro que eu quero ter.
          
                                              (Raquel Rodrigues – 10 anos)






Meu futuro


      Sou muito novo para ficar preocupando com meu futuro. Por isso, o que mais me importa no momento é divertir e ser um grande atleta na verdade, isso é o que eu quero para o meu futuro. Pretendo sim, ser um grande atleta e quem sabe, até viver disso.
Um dia poderei ser um atleta olímpico na modalidade ciclista. Esse é o meu sonho no momento. Quero ser um ciclista e trazer grandes emoções para minha família e para o meu país. Quero competir nas olimpíadas e viajar pelo mundo, e conhecer vários lugares tanto no Pará, como no Brasil e pelo mundo a fora.
Quero fazer também trilhas porque acho que é muito emocionante. Meu professor Ormes conta algumas histórias interessantes de quando ele era adolescente e isso me emociona bastante.
Quanto ao meu futuro de quando eu estiver grande, vou deixar pra pensar nisso mais tarde, com paciência e muito cuidado pra não me arrepender da escolha.
Ser um grande ciclista. Esse é o futuro que eu penso nele.
                                                      (Flavio Costa – 11 anos)


Meu futuro

      Me chamo Guilherme Ramos, tenho dez anos e moro com minha vó que me cria desde pequenino. Minha família é muito alegre. Gostamos de estarmos reunidos para conversar e confraternizar momentos importantes para nós.
Gosto de jogar bola, andar de bicicleta, jogar vôlei, queimada, etc. e, além disso, brincar com meus irmãos. Vou também sempre a igreja participar da missa, encontros, catequese e rezar o terço da família.
Minha rotina é bem proveitosa, mas, me preocupo como será o amanhã, pois vejo as notícias nos jornais e observo tanta violência, corrupção, e isso me deixa a pensar.
Para o meu futuro pretendo desde já buscar conhecimentos através do esporte que almejo praticar, e me esforçar nos meus estudos para que eu possa chegar onde pretendo lutar e ter um futuro melhor para cuidar da família, e assim, viver bem. Isto é um pouco da minha história de vida.
Espero que entendam o que eu quero ser no futuro e poder ter uma vida melhor e alcançar o meu sonho.
                                                (Guilherme Ramos – 10 anos)




Meu futuro


      Gosto muito da escola e por isso, procuro aprender o que nela me ensinam. Sei que a escola não é a casa da gente mas, sem duvidar, acredito que ela é a extensão da casa da gente. Na escola a gente aprende muita coisa e passa a ter mais sonhos para o nosso futuro.
Sou nova demais para me preocupar com o futuro, mas, tem uma coisa que eu quero ser. É bailarina. Quero aprender todo tipo de dança e dançar em vários lugares no futuro.
O futuro pertence a Deus, mas sei que pelo menos nós podemos sonhar e lutar para fazer com que nosso sonho venha ser verdade. Vejo na televisão como é que as bailarinas conseguem alegrar as pessoas e eu também quero alegrar as pessoas e como eu gosto de dançar, vou também ser alegre.
Agora no momento essa é a única coisa que eu quero para o meu futuro. O resto depende do meu pai e da minha mãe que cuidam de mim com todo carinho e amor.

                                                     (Lorrany Castro – 10 anos)



Meu futuro

      Tem pouco tempo que cheguei aqui em Tucuruí. Vim da Guiana com meus pais que são daqui. Isso pra mim não é nada porque já gosto daqui. Gosto da escola que escolheram pra mim fazer o quinto ano, gosto do meu professor que é muito bom comigo e com toda a turma com se fosse um pai.
Meu objetivo na vida, eu acredito que é o mesmo de todo mundo que frequenta uma escola. É ser alguém que vence na vida. Cada um escolhe uma profissão, e eu não sou diferente. Quero ser uma veterinária.
Quero ser veterinária porque sempre que eu ando na rua eu vejo muitos cachorros e muitos gatos, e vejo os filhotes, todos sendo maltratados e me dá vontade de pegar todos os animais das ruas. Eu tenho dois cachorros e um gatinho e eu não tenho coragem de maltratar meus próprios animais. Eu acho isso muita covardia. Quem faz isso eu acho que não é um homem ou uma mulher, é um monstro. Por isso, quando eu crescer quero principalmente, cuidar dos animais das ruas e zelar deles.
Daqui pra frente, tomara que eu possa conseguir realizar o meu sonho porque eu serei muito feliz fazendo o que eu quero.

                                                          (Islene Nunes – 10 anos)




Meu futuro


      Todos nós pensamos no futuro porque na verdade, ninguém pode viver sem o futuro. Ele é uma coisa que eu me preocupo muito, porque vejo como são as coisas na minha casa e na casa das minhas colegas na escola. Todo mundo reclama de desemprego e falta de dinheiro.
Quando eu crescer, quero ser uma veterinária, porque eu gosto muito de animais e eu quer cuidar dos animais quando eles estiverem doentes. Quero cuidar dos cachorrinhos quando eles estiverem doentes.
Eu quero ser veterinária porque eu gosto de todos os animais e sei que a gente quase não vê médico que cuida dos animais, e então, os bichinhos acabam morrendo por falta de cuidados veterinários.
Quando eu crescer quero realizar meus sonhos, e esse é o meu maior sonho. Quero cuidar dos animais de rua que ficam jogados porque os donos não querem saber de cuidar deles. Só pegam por luxo, depois enjoam e desprezam os coitadinhos nas calçadas.
Este é o futuro que eu sonhei pra mim, neste texto que o professor Ormes pediu pra que eu escrevesse.


                                                           (Thayssa Pas da Silva)



Meu futuro

       A primeira coisa que eu quero é ser muito inteligente, pois, a inteligência usada com sabedoria poderá me levar ao destino que eu desejo.
Quanto a uma profissão, eu quero ser professor. Para isso acontecer, preciso estudar bastante e procurar entender bem as pessoas para que eu possa ensinar corretamente a elas as matérias da escola.
Quanto a matéria que eu vou lecionar, eu não escolhi. Pode ser qualquer uma que eu realmente enteder bem para que eu não passe vergonha na frente dos meus alunos.
Vou me dedicar bastante aos meus estudos desde agora. Vou procurar aprender bastante e se Deus quiser vou me formar.

                                                   (Rafael Silva – 10 anos.)


Meu futuro


       Sou um grande torcedor do time do Flamengo e gosto muito de jogar bola. Fui jogador da escolinha de futebol da minha cidade e sempre me dei bem jogando no meio campo.
Quando eu crescer, quero ser jogador de futebol e quero jogar no Flamengo para dar orgulho para minha família e para o meu país.
Sei que, para chegar onde eu quero, devo me dedicar aos estudos e sempre ser zeloso com minhas coisas.
Sempre que tem um jogo na televisão, eu corro pra assistir porque assim eu aprendo muito mais sobre boas jogadas e a maneira de me colocar na posição certa para receber os passes.
Meu futuro quero que seja brilhante e cheio de gols.


                                                     (Pablo Cauan – 10 anos)




Meu futuro



       Vamos direto ao assunto. Afinal, falar muito nem sempre é falar bem.
Quero o ter um futuro feliz. Ser veterinário, porque eu gosto de animais e também, porque vejo muitos animais soltos , magros, maltratados, totalmente largados.
Minha cachorra morreu no dia certo, mas, porque eu cuidava bem dela. Dava banho, escovava, dava comida, e cuidava muito bem dela.
Minha gata também morreu no tempo certo. Ela nasceu comigo. Ela cresceu comigo também. Dormia no berço comigo, fazia tudo comigo.
Eu fui ao bosque e toquei em todos os animais de lá. E fui embora feliz no outro dia. E fui de novo e começou tudo de novo.
Meu maior sonho então é ter um futuro feliz. Ser veterinário.

                                                                  (Christian Felipe)





Meu futuro


      Tem coisas na vida que a gente fica a observar desde quando a gente é bem criancinha. E o que eu sempre observei foi os médicos, o jeito deles de ser e enfim, o quanto as pessoas precisam deles
Eu quero ser médica. Foi a profissão que eu escolhi e com certeza, não vou me arrepender no futuro.
Todo mundo precisa de um médico um dia. Não se sabe quando, mas precisa. Sempre que eu brincava com minhas colegas, eu sempre queria ser a médica. Brincava de ouvir o coração, olhar a pressão, se tinha febre, onde eram as dores, e receitava o remédio.
Era muito divertido brincar de médica. Isso me tem levado a acreditar que eu serei no futuro, uma boa médica.


                                            (Mariana Gonçalves – 12 anos)



Meu futuro


       Como vai ser o meu futuro? Eu quero ser médico, para poder cuidar de minha querida mãezinha, e para cuidar de outras pessoas, e deixar elas bem cuidadas.
Não quero ser como grande parte dos médicos que a gente vê por aí nas UPAS da vida, que ficam sem fazer nada, e não atendem um paciente que está aguardando na fila mas não é um caso de emergência.
Ser médico para mim, é ter um coração cheio de amor e gosto pelas pessoas mesmo que eu não as conheça. É ter o prazer de estar deixando as pessoas medicadas sem pensar que eu sou melhor do que elas.
Vou estudar muito para que eu seja um bom médico. O professor Ormes fala que para ser médico a gente precisa ser muito dedicado aos estudos e não olhar para a preguiça .
Se Deus quizer, vou ser médico e bem diferente dos que somente têm diploma para ganhar dinheiro.
     
                                                             (Thiago Pas Silva)


Meu futuro



      Quando eu crescer quero ser um médico veterinário porque eu gosto de cuidar dos animais.
Eu gosto de gatos, cachorros, passarinhos, e tudo quanto é animal, eu adoro os animais. Esta é a minha razão de querer ser veterinário. Ademais, tem muito poucos veterinários aqui em Tucuruí, e a maioria deles, nem cuidam direito dos bichinhos. Eles ficam perdidos pelas ruas, todos pirentos e passando fome.
O prefeito deveria ter um lugar somente para deixar os animais abandonados pelos donos que não prestam e só pensam neles.
Quero ser diferente. Quero que os animais sejam bem cuidados e , por este motivo, vou estudar para ser um grande veterinário que cuida dos animais em geral.
Sei que Deus vai me abençoar e eu vou conseguir formar. Sei que realmente é muito difícil e a gente tem que lutar muito e estudar muito para conseguir se formar.
Um dia serei um grande veterinário, se Deus quiser.


    (Davi da Nóbrega.)




Meu futuro



       Meu futuro somente Deus sabe dele. Mas, se eu puder decidir, quero ser professor de sala-de-aula, que nem o professor Ormes. Brincalhão, divertido, amigo da gente, que ensina e que também chama a atenção na hora que precisa sem humilhar a gente.
Quero ser professor para que meus alunos possam realmente aprender o que se ensina e não somente para poder ganhar o meu dinheiro no fim do mês.
Para que isso venha a acontecer, eu sei que é preciso estudar muito e ser muito dedicado aos estudos. Sempre procurar entender as pessoas para que eu possa encontrar um jeito de fazer que com elas possam aprender aquilo que está sendo ensinado.
Vou estuda sempre e não vou mata aulas em nenhum dia. Porque assim, sei que vou realmente aprender para poder saber ensinar, bem.
Não quero que as pessoas que forem meus alunos no futuro encontrem as dificuldades que eu encontrei até a pouco tempo antes de eu voltar para a escola Maria Odete.

                                                         (João Augusto Ferreira)




Conclusão




Na leitura destas preciosas páginas tiramos lições que nos farão refletir e às vezes voltar ao nosso passado para repensar nosso futuro. O futuro parece estar tão próximo e vemos que o verdadeiro nome do futuro é o amanhã e que depois do hoje, lá vem o amanhã.

Assim sendo, podemos concluir que o futuro sempre está sendo preparado por nós, e sua conclusão somente acontecerá quando terminarmos a tarefa a nós designada pelo destino porque somente uma coisa é certa, e por ela todos nós passaremos. Cabe a nós escrevermos a nossa história e é nossa responsabilidade sermos história no futuro.